11.1.13

Hentai - O pornô para Otakus pervertidos


Se você é menor de 18 anos ou acha que sexo é coisa do demônio eu aconselho que não continue lendo, em outras palavras, dê o fora...Pra começar, o Japão é um país de 1000 anos de idade, enquanto que o Brasil mal tem 500 anos, o sexo para eles é completamente diferente do nosso jeito católico. No Japão os mangás pôrnos masculinos apelam para temas pesados que nos encheriam de horror, mas que pra eles tá tudo bem, poís eles sabem que lutar contra isso é bobagem.
Sadomasoquismo, incesto, pedofilia, pederastia, monstros melequentos, estrupo, mutilações...tudo isso faz parte de uma cultura que entende que o ser humano é podre e tem desejos secretos no fundo da alma. Mas é bom deixar claro que o Japão não é a terra da liberdade como uns imaginam, volta e meia os moralistas saem debaixo do estrume para tentarem impor sua vontade, e ajudados pela lei japonesa.
Mas eu falo sobre isso daqui a pouco, antes um pouco sobre a história do hentai que eu encontrei na Wikipédia:
"Acredita-se que o hentai seja inspirado em formas de arte erótica que já existem no Japão desde o Período Edo, que ocorreu de 1600 a 1867. Naquela época, eram comuns gravuras tradicionais, conhecidas como ukiyo-e, que versavam todos os temas, inclusive o sexo e a nudez. Estas eram conhecidas como shunga, e utilizadas como manual para instruir recém-casados ao sexo, ou como objeto para auxiliar a masturbação. Muitas vezes, coleções de shunga eram dadas como presente de casamento para serem usadas na lua-de-mel."

Exemplo de Shunga

A palavra japonesa hentai é composta por dois kanjis: hen que significa “mudança” ou “estranho”; e tai, cujo significado é “atitute”, “aparência”; portanto o vocábulo serve para indicar um comportamento diferente do costumeiro. O termo é, na verdade, uma contração da expressão hentai seiyoku, que significa “perversão sexual” e quando utilizado como gíria, expressa o ato sexual em condições extremas ou bizarras, em relações heterossexuais ou homossexuais. No oeste do Japão, a palavra tem conotação negativa e é utilizada para fazer referência à animes ou mangás cujo tema principal seja o sexo explícito. Saiba que no Japão o termo não é associado à pornografia, sendo utilizadas as classificações 18-kin (“proibido para menores de 18″) ou seijin manga (“mangá adulto”) para designar este tipo de leitura. Ou seja, para os japoneses o hentai é uma subcategoria das publicações ero, enquanto para os americanos o termo tornou-se um gênero para todos os tipos de publicações de ilustrações sobre sexo! Outro termo utilizado para hentai no oriente é o H-mangá.
No Japão é muito comum esse tipo de mangá e existem diversos títulos de mangás e animes hentais, e que geralmente passam na TV no horário da madrugada, o mangá também tem seus próprios gêneros destinados para certas idades e para certas tendências e gostos sexuais (a exemplo de Yuri , Yaoi e outros..). O que mais rola no Brasil é o mangá hentai para adolescentes.

Uma típica Hentai Girl

O surgimento do hentai moderno começou após o fim da Segunda Guerra Mundial, quando permitiu-se novamente a publicação de material pornográfico. Entretanto, segundo o artigo 175 do código criminal japonês, era proibida a divulgação de material com pêlos púbicos, obrigando os artistas a não desenhá-los, em compensação, o mesmo artigo permite que os orgãos sexuais infantis sejam mostrados, daí os desenhos pornôs com crianças e ninfetas eram comuns, mas o sexo explícito não. Mesmo hoje em dia, a ausência de pêlos é uma característica própria do hentai, mas há muitas obras em que os pêlos são desenhados pois não são mais proibidos.
O hentai ganhou um novo impulso com a popularização do doujin, ou mangás amadores. Estima-se que metade do mercado seja composto por pornografia, embora seja difícil calcular, pois muitos desses trabalhos são divulgados pela internet. A maioria dos hentais compartilham algumas características em comum, como as mulheres completamente taradas (geralmente elas que começam com a "brincadeira") que parecem nunca engravidar ou menstruar, e o desenvolvimento sexual feminino muito precose (no caso das lolicons), sem falar nos orgãos sexuais masculinos enormes (tá, sem piadinhas) que podem ficar eretos por horas e ejacular litros de esperma.
Mesmo trabalhos não-pornográficos de animes e mangás retratam situações adultas e nudez leve, até mesmo em obras voltadas ao público infantil.
Voltando ao assunto dos moralistas, a Associação de Pais e Professores (no original PTA) japonesa já teve (e tem) muita força no país, o primeiro ataque deles começou nos anos 50, quando surgiram com a "campanha para banir os maus hábitos de leitura", as velhinhas e os velhotes queimaram mangás em praça pública, só faltou a suática! Em 1968, o PTA caiu de pau em cima de Go Nagai com sua sátira erótica Escola Safada. Em 1989, o assassino Tsutomu Miyasaki foi preso após raptar e esquartejar várias meninas, na casa do animal acharam vários mangás pôrnos. E lá vem o PTA querer punição ao hentai, pois acreditavam que ele "induzia ao crime e ao sexo bizarro", como se as pessoas precisassem da ajuda dos mangás... Ou seja, é tudo coisa de ignorante, é o mesmo que dizer que games podem fazer pessos ficarem violentas (maldita Record!!).
Em 1990, uma senhora, mãe de três crianças, ficou horrorizada quando viu nas coisas do filhinho uma cópia do mangá Angel, de um artista chamado U-Jin. Foi o bastante para explodir uma campanha contra o desenhista e sua equipe. No começo, U-Jin deu risada das velhas malucas, mas quando ele foi em cana ele não achou tanta graça.


O hentai pode ser dividido em vários gêneros, de acordo com a temática das relações exploradas na obra. Muitos fãs têm o seu gênero favorito, e alguns tipos de hentai podem ser considerados mais pervertidos do que outros. Veja abaixo os mais famosos:

  1. Ecchi: Mostra nudez leve e sem sexo explícito, talvez não devesse estar aqui, mas é sempre alvo de preconceito e às vezes é bem explícito.
  2. Yuri: Retrata lesbianismo, diferente de shoujo-ai, que trata sobre o lado sentimental, é mais voltado para pegação do que sexualidade. Também há o Orange, que seria mais pesado. Como animes Yuri tem uma história relativamente boa, ele deve ser equivalente a pornografia homossexual, ou seja, 20 minutos dos 26 da série são garotas fazendo sexo.
  3. Yaoi: Mostra relações homossexuais entre homens. Aqui o shounen-ai seria a versão “leve”. E assim como o Orange, existe o Lemon, que é provavelmente a mesma coisa, só que com homens.
  4. Jouso Shonen: Agora são os meninos vestidos de meninas brincando entre si (olha a fantasia com a lingerie da mamãe ai gente!).
  5. Lolicon e Shotacon: Lolicon é a abreviação de Lolita complex e Shotacon de Shötaro complex, são hentais com menores de idade, sendo shotacon com meninos e lolicon com meninas. Não é considerado pedofilia, mas lolicon também pode ser usado para designar pessoas que sentem atração por menores. Na verdade, esse gênero vem criando muita polêmica no Japão, afinal, brasileiro é tudo ignorante, por dizerem que incentiva a pedofilia, mas seria necessário toda uma matéria para explicar isso…
  6. Shotacon Yaoi: Onde um homem tem relações sexuais com um menino. Por mais imoral que pareça, existem algumas revistas só voltadas para esse tema.
  7. Jouso Shonen: Subdivisão do Shota que se consiste em meninos vestidos de meninas, envolvendo hentai nisso.
  8. Lolicon Orange: Garotas menores de idade fazendo sexo umas com as outras.
  9. Toddlercon: Imagens de crianças de 5 ANOS PARA BAIXO em imagens de duplo sentido ou nuas.
  10. Siscon: Tara pela irmã (geralmente mais nova).
  11. Bukkake: É um tipo de orgia onde uma mulher (ou mais) é observada por vários homens que se masturbam e ejaculam na cara/corpo dela. A mulher pode estar sendo estuprada, sendo tocada por um homem ou por uma mulher, qualquer coisa que leve os que estão assistindo a ficarem excitados.
  12. Gokkun: Típico fetiche japonês onde a mulher ingere o sêmen de um ou mais homens, direto ou indiretamente. Basicamente os japinhas curtem ver a mulher engolir. O nome vem da onomatopeia de se engolir algo, próximo ao nosso “glup”.
  13. Parshot: Os personagens apenas ficam com suas partes íntimas expostas , mesmo sem nenhuma cena de sexo explícito. (típica provocação para sua mente perversa)
  14. Furry: Tara por mulheres zoomorfizadas (aquelas com orelhas e cauda de gatos ou de qualquer outro animal).
  15. Kemono: Mostra relações entre “semi-animais”, as vezes com humanos. Não é exatamente Zoofilia e não compare com personagens Furries.
  16. Futanari: Quase “normal”, só que as meninas têm PÊNIS. Não, não são travestis e sim HERMAFRODITAS, ou você faltou naquela aula de ciências?.
  17. Gore: Retrata MUTILAÇÂO. Sim… Garotinhas sendo desmembradas e também canibalismo (que tipo de psicopata se masturba com isso?!).
  18. Bakunyuu: Hentai no qual as personagens têm seios enormes.
  19. Mechanofilia: Tara com coisas mecânicas, não necessariamente robôs, mas até mesmo veículos.
  20. Arborfilia: Tara por árvores.
  21. Necrofilia: Tara por cadáveres.
  22. Macrofilia: Tara por pessoas do sexo oposto de tamanhos exageradamente diferentes, sendo mínusculos ou gigantes.
  23. Vorafilia: Hã... Fome da pessoa amada? Acho que dá pra dizer algo assim... Enfim, a pessoa come a pessoa que gosta.
  24. Yiff: Humanos pervertidos vestidos com roupas de baixo PEQUENÉRRIMAS que lembram as peles dos furries.
  25. Piko no Boku: Os personagens usam gelo, sorvete, doces ou brinquedos infantis no lugar dos órgãos em suas brincadeiras.
  26. Gerakuro: Hentai com idosos.
  27. Yatai: É um tipo de Ranma 1/2 hentai... Explicando: personagens que trocam de sexo, podendo ter versões masculinas e femininas.
  28. Hope: Ao invés de orgãos masculinos, a moda é com objetos cortantes como tesouras, espadas, ganchos.
  29. Tentacle Hope: No lugar de objetos cortantes, a moda é com tentáculos e criaturas rastejantes e nojentas!

É claro que devemos lembrar que nem todo estilo hentai tem como alvo o sexo e a submissão de personagens, também releva muito apenas as poses e expressões sensuais dos mesmos.

5 comentários:

  1. A ultima sempre achei nogento, nunca vi hentai em si, mas sempre tem tentacle hopeem ou um ecchi em animes, bom...pelo menos maioria.

    Mas de todos só fico no ecchi e shounen-ai mesmo. Tem alguns shounen-ai que são bem legais, como NO.6 e kuroshitsuji, mas isso vai do gosto de cada um. Mas a postagem realmente fico bem legal, como otakus dizem datte bayo!

    cantinhodadrw.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. eucurto os lolicon não sei exatamente porque mais são os melhor na minha opinião alem dos arem e ecchi

    ResponderExcluir
  3. Anônimo,lolicon é o que,na minha opinião,tem a melhor história mas shotacon e Bakunyuu são inesquecíveis.E autor da matéria,BADASSSSSS.Eu achei muito bem explicada e bem humorada tbm.VLW

    ResponderExcluir
  4. UMA DICA:
    http://nrnbagunca.blogspot.com.br/2013/05/como-remover-o-captcha-verificacao-de.html

    ResponderExcluir

● Para críticas, elogios, perguntas ou sugestões, deixe um comentário, é rápido e não dói nada.
● O blog é totalmente pessoal e fala sobre tudo aquilo que eu gosto e não gosto. Não gostou do post? Evite deixar comentários que não sejam somente críticas contrutivas.
● Ofensas e palavrões serão apagados.